Pesquisar este blog

sábado, 10 de janeiro de 2015

Êxodus: Acertos Históricos e erros bíblicos

Recentemente fui ao cinema ver um clássico de Ridley Scott,chamado Êxodus. Com um diretor de renome assim,espera-se uma grande pesquisa histórica. Scott dirigiu 'Gladiador','Cruzada' e '1492-A Conquista do Paraíso'.Todos esses fazem parte da minha coleção. Mas ocorre que,atualmente,há um grande questionamento por detalhes da bíblia no meio acadêmico. Tudo isso ocorre,mais com finalidade de rebater uma religião supostamente hipócrita, do que busca científica de forma desinteressada.

Atualmente há uma série de revistas históricas,como 'Aventuras na História' da Editora Abril ou 'História Viva' da Editora Segmento(antiga Duetto) falando sobre esse tema,devido a produção do filme de Scott. Eu sou fã de ambas as revistas,mas vasculho fontes arqueológicas também.

Existem dois tipos de provas,quando se diz respeito às descobertas arqueológicas e notas para documentos históricos: A prova documental,mas pra isso é necessário ter o documento antigo(que é bastante frágil)e comprovar sua data através de detalhes lógicos,como escritos que 'encaixam' em certas épocas. Passando por esse teste,vem a comprovação físico-química: Existe um isótopo do Carbono(um tipo diferente de carbono)chamado Carbono-14,que se 'parte ao meio' a cada 5.600 anos,aproximadamente. Sendo assim,você submete ele(o documento)à prova do exame do carbono,e isso dará em 'quantas partidas' ele deu.Tudo isso é feito antes de colocar um dado em nossos livros de História.Abaixo podemos ver como funciona essa datação

Neste filme 'Êxodus',muitas realidades são levadas em conta pelos produtores,como o não haver prova histórica sobre o fato de como os hebreus foram parar no Egito,somente provas bíblicas. A bíblia não é um livro histórico,por isso não relata os fatos com detalhes.Verifica-se isso quando a filha de Jacó somente vem a ser mencionada na bíblia por causa do seu estupro,pois para o oriente antigo a mulher não tinha validade histórica,sendo mencionada somente como justificativa para 'ocorridas extraordinárias'.

Durante o filme verifica-se erros históricos, como colocar a Batalha de Kadesh com o faraó Set I ainda vivo,mas há bem poucos. Parece que chegamos a uma época em que a ciência arqueológica não mais está a serviço da bíblia. Mas há detalhes errôneos por lógica histórica,e até mesmo bíblica.Colocar Moisés como uma espécie de mistura de William Wallace,o 'Coração Valente da Escócia' com 'Guilherme Tell,o arqueiro suíço medieval' é erro tanto histórico como bíblico.

Mas o filme é fantástico,vale a pena ver. Mas sempre que vemos um filme ou documentário,e queremos nos aprofundar,devemos em seguida corrermos à leitura de muitas fontes.Bjosss da fada dos cálculos.

2 comentários:

  1. Adorei o post! Já anotei a dica pra ver o filme.
    Hoje em dia a maioria dos filmes biblicos trazem erros grotescos.

    http://www.detudopouco.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Detalhe Sil....o povo evangélico amigo meu,que 'mete o pau',muitas vezes não sabe nem Bíblia,nem História....rsrsrs

      Excluir